Imagine você isso!!!!

Um barco de papel é lançado em um rio calmo. Nesse barquinho foi colocado um mini canhão com 1 bala, pronto para ser disparado! No momento do tiro, o que aconteceu com o barquinho? Simplesmente voou, desapareceu, na chance de ter sido desfeito, ao ser lançado para algum lugar…

Agora passamos o exemplo, para a prática do futebol:

  1. O barco de papel é o nosso corpo, que NÃO trabalha o CORE com exercícios de estabilização/isometria;
  2. O mini canhao é a força do nosso chute, que tem uma certa potência na hora de execução do movimento, para colocarmos a bola na direção onde desejamos; a bala é a bola!

O QUE ACONTECEU COM O NOSSO CORPO (barquinho) NO MOMENTO DO CHUTE (tiro)?

Foi lançado para algum lugar do campo, ocorrendo algum tipo de lesão após o chute (queda no chão, estiramento muscular ou ligamentar, possível entorse nos joelhos, tornozelos, etc.), ocorrendo um desperdício de energia no momento do movimento, com grandes possibilidades em erros técnicos (o chute), entre outras situações desastrosas que possivelmente poderiam acontecer!

O Treinamento de estabilização tem como objetivo integrar todos os movimentos do corpo, definindo por um dos conceitos popularmente conhecido como “core” que inclui os músculos dos ombros, do tronco e do quadril. Com o trabalho de estabilizar todas essas regiões do nosso corpo, quando no jogo se exige algum tipo de movimento, eles melhoram e reforçam a eficiência dos padrões de movimentos entre outras particularidades que executamos durante o jogo.

Os benefícios que nos trazem de trabalhar esses músculos, são que TODOS OS MOVIMENTOS dependem e surgem a partir destes, dando o suporte para qualquer ação que se realiza e se origina se transferindo através deles. Os movimentos são ineficientes quando há falta de estabilidade e mobilidade no “CORE”, causando um desperdício de energia, podendo se transformar em uma lesão através de gestos a longo prazo. Quer continuar como um barquinho de papel ou se tornar um tanque de guerra?